“OLHA, TEU HÁLITO NÃO ESTÁ LEGAL”

Quantas vezes você já sentiu vontade de avisar a alguém que ela estava com mau hálito?

Na maioria dos casos, quem tem halitose não sabe do seu problema. Isso porque o nosso olfato, após algum tempo, se acostuma com os cheiros que exalamos constantemente. Isso se torna um fato constrangedor, porque é difícil encontrar alguém com a coragem de dizer-lhe: “Olha, teu hálito não está legal”.

O cheiro está tão ligado às emoções que o hálito desagradável pode gerar repercussões negativas nos âmbitos profissional, pessoal e emocional.

São recorrentes queixas de depressão, tristeza, baixa autoestima, constrangimento, isolamento social e insegurança.

O mau hálito geralmente tem uma ou mais causas associadas:

BUCAL: A grande maioria dos casos de hálito ruim são tem origem na boca e são causados por higiene oral precária, cáries, doenças da gengiva (gengivite ou periodontite) e a saburra na língua (língua branca). RESPIRATÓRIA: rinites, sinusites e amigdalites

DIGESTIVAS: gastrites, esofagites, neoplasias e úlcera duodenal.

OUTRAS CAUSAS: diabetes, alterações hormonais, diminuição do fluxo salivar, baixa ingesta de água, estresse, ingestão de alguns alimentos, jejum prolongado, uso de certos medicamentos, fumo e consumo excessivo de álcool.

Lembrando que existe a halitose fisiológica o chamado “bafo”, que  maioria das pessoas apresentam ao acordar e esta relacionado a diminuição do fluxo salivar durante o sono. Essa halitose é transitória desaparece após a higienização oral pela manhã e com a normalização do fluxo salivar.
De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), aproximadamente 40% da população mundial tem algum grau de halitose.

Existe um protocolo de atendimento clínico a ser seguido. A anamnese precisa ser muito bem feita para que se investigue, descubra e trate a causa, ao invés de apenas disfarçar o sintoma.

Venha conversar conosco!