A umidade relativa do ar é,  em termos simplificados, o quanto de água na forma de vapor há na atmosfera. O ideal, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), é que ela varie entre 50% e 80%. É por isso que, quando os níveis estão entre 20% e 30%, as regiões entram em estado de atenção. A umidade do ar é mais baixa principalmente no final do inverno e inicio da primavera e no período da tarde, entre 12 e 16 horas.

Índices de umidade relativa do ar e alertas de saúde
Acima de 30% Observação
De 30% a 20% Atenção
De 19% a 12% Alerta
Abaixo de 12% Alerta máximo


A baixa umidade do ar que ocorre em Brasília, nesse período do ano, pode provocar problemas à saúde como complicações alérgicas e respiratórias devido ao ressecamento de mucosas e ressecamento da pele. Essa condição climática também favorece a manutenção dos poluentes no ar, o que potencializa os danos à saúde. Por isso é comum sentir irritação na garganta, no nariz e nos olhos. O desconforto é ainda maior para pessoas que já têm doenças respiratórias como asma, rinite alérgica ou bronquite crônica, que ficam propensas ao agravamento dos quadros. Crianças e idosos precisam de atenção especial, pois são os mais afetados pelo clima. Portanto é preciso tomar cuidados especiais para evitar esses problemas.

A seguir, apresentamos algumas dicas de como umidificar o ar em sua casa e aliviar os problemas respiratórios:

  • Hidratação é fundamental o consumo de líquidos para evitar a desidratação durante os períodos de seca mesmo sem sentir sede, pois quando a boca está seca já significa que começou o processo de desidratação. Tomar bastante água pode ajudar a aliviar a irritação na garganta e lavar as narinas com soro fisiológico também ajuda a diminuir o desconforto no nariz.
  1. Atenção: lavar o nariz com água da torneira não adianta, pois não é pura e contém cloro, o que irrita ainda mais as narinas.
  2. Atenção: Consumir outras bebidas ao invés de água, como chás, refrigerantes ou café, pode ser menos benéfico, pois estas bebidas são diuréticas e não são tão eficazes para combater a desidratação, então para substituir estas bebidas, é indicado o consumo de suco de frutas, principalmente os naturais.
  • Umidificadores – o uso deles deve ser controlado. Recomenda-se que a pessoa utilize 3 a 4 horas antes de deitar e desligue-o. Se o ambiente tiver almofadas e cortinas, tanto vapor pode provocar o surgimento de fungos, o que não é saudável. Eles devem ser higienizados diariamente, e utilizados com água limpa. A colocação de bacias com água ou a toalha úmida no quarto também são boas opções
  • Alimentação – o consumo de alimentos saudáveis e ricos em líquidos ajuda quando o assunto é hidratação. Consumir saladas e frutas da época como abacaxi, melão e melancia, que são ótimos hidratantes naturais.
  • Exercícios físicosA pessoa deve fazer os exercícios em horários que a umidade não esteja tão baixa, evitando o período entre meio-dia e seis da tarde. Se estiver muito ruim, o ideal é postergar para outro dia. E lembrar que mesmo em ambientes fechados, dentro de casa ou da academia, o ar também vai estar seco. E sempre que for fazer atividade física, procurar tomar água durante e após a prática, para  ficar bem hidratado.
  • Cuidados com os olhosQuando o clima está seco as pessoas têm a sensação de olho seco, pois as lágrimas também evaporam mais. O olho seco fica mais vulnerável a alergias e a conjuntivites. O ar condicionado agrava ainda mais a situação. Para aliviar a secura dos olhos, é recomendado que as pessoas usem colírios do tipo lágrima artificial.  E no caso das pessoas que usam lentes de contato, elas também devem evitar coçar os olhos e higienizar bem as mãos antes de tocar os olhos.

Nas Escolas:

  • Em dias muito quentes evitar a exposição dos alunos em locais descobertos ou por períodos prolongados;
  • Desenvolver atividades mais leves com os alunos durante as aulas de Educação Física;
  • Oferecer várias oportunidades de hidratação aos alunos durante a jornada escolar;
  • Recomendar as famílias e aos alunos o uso do protetor solar quando expostos ao sol e orientem a importância da hidratação.